sábado, abril 27

Padre Beto admite que não é o que nunca foi


Padre Beto anuncia que não celebrará mais Missas

Em uma coletiva de imprensa, realizada no salão de festas de seu prédio, padre Beto, de 48 anos, anunciou seu afastamento das atividades sacerdotais, na manhã deste sábado (27), em Bauru.  Ele não deixará de ser padre, mas não celebrará mais missas e batizados. Na prática, padre Beto está se afastando da Igreja Católica.

Segundo informou, nesta segunda-feira (29), o padre entregará  ao bispo dom Caetano Ferrari seu pedido do afastamento das atividades. “Não estou renunciando o sacerdócio, me afasto do exercício do ministério”, afirma.

Padre Beto afirmou ainda que não tem motivos para pedir perdão ao bispo dom Caetano e que sua renuncia é ao dogmatismo e não à religião. “ Me afasto por questão de coerência, digo sim à religião e não ao dogmatismo”, enfatiza.

Posição da Diocese

Extraoficialmente, segundo o JC apurou, o bispo dom Caetano foi pego de surpresa com a decisão do padre Beto. O bispo soube de sua decisão por meio da imprensa.

Neste sábado, o dom Caetano está em celebrações na cidade de Agudos (13 quilômetros de Bauru) e só se pronunciará oficialmente após o encontro com o padre Beto, na segunda-feira (29).

Fonte: jcnet.com.br

E mais:

Declarações de padre mobilizam Diocese

A Diocese de Bauru se pronunciou ontem sobre uma polêmica envolvendo o nome do padre Beto. Após produzir e compartilhar um vídeo através das redes sociais, em que questiona a postura conservadora da igreja e temas como a bissexualidade e a fidelidade conjugal, o padre recebeu inúmeros comentários de fiéis questionando tal ato e exigindo um posicionamento da Diocese local.

Com a repercussão, o bispo diocesano de Bauru, dom Caetano Ferrari, se pronunciou sobre o caso e determinou que o padre retire todo o conteúdo que esteja relacionado com esta polêmica e se retrate publicamente até o dia 29 de abril. Caso esse prazo não seja cumprido, serão tomadas medidas de acordo com o regimento da Igreja.

Padre Beto disse ontem ao JC que é muito cedo para tomar uma atitude e ainda está pensando. “Não tenho nada resolvido por enquanto, mas o problema é que existem pessoas dentro da igreja que acham que um padre não pode refletir e, com isso, nem as pessoas”, enfatiza, reforçando que não vê problemas de desrespeito às normas da Igreja em suas afirmações.

“Segundo comentários do próprio vídeo, estas atitudes e desrespeito a normas acabam denegrindo a imagem da Igreja Católica bauruense e da religião em si”, afirma uma fonte ligada ao comando da Igreja Católica em Bauru.

Padre Beto já vinha questionando o conservadorismo da Igreja e alguns princípios católicos, mas nenhum que levasse a um pronunciamento da Diocese. Recentemente, ele também se envolveu em campanhas políticas, pronunciando-se a favor de alguns candidatos, entre eles o líder umbandista Ricardo Barreira.

“Tendo em vista os recentes pronunciamentos do padre Roberto Francisco Daniel (padre Beto) em páginas pessoais da internet, que têm provocado escândalo junto aos fiéis, agora, extrapolando-se o âmbito diocesano e indo para o mundo aberto mídia eletrônica; tendo em vista o conteúdo desses pronunciamentos que ocorrem em desacordo com os ensinamentos da Igreja no campo da doutrina, da moral e dos costumes; tendo em vista que não em poucas oportunidades o bispo diocesano já lhe vem alertando sobre seus pronunciamentos; e tendo em vista o diálogo realizado no dia 23 de abril, na Cúria Diocesana, sobre o assunto, determino ao padre Beto a retirar de imediato tudo o que estiver na mídia, com palavras e imagens relativas a estas suas declarações. Determino a se retratar através do mesmo meio utilizado (site, Facebook e YouTube), no prazo até 29 de abril de 2013, confessando humildemente que errou quanto a sua interpretação e exposição da doutrina, da moral e dos costumes ensinados pela Igreja. Nossa Diocese (...) encontra-se em oração permanente, suplicando ao Divino Espírito Santo, seu padroeiro, que ilumine nossas mentes e nossos corações para caminharmos na busca da conversão, da santidade, da comunhão e da paz” - Dom Frei Caetano Ferrari, bispo diocesano de Bauru

Fonte: jcnet.com.br

Abaixo o pronunciamento do Bispo de Bauru Dom Caetano Ferrai, sobre o padre Beto:

video

Mais fontes:

Conde Loppeux (Recomendado)
Globo


Nithapele:

Na verdade, Padre Beto, nunca deixará de ser Sacerdote, nem mesmo se ele quiser, pois o Sacramento da Ordem, é Eterno, não se perde nem com a morte. De resto, gostei muito do desenrolar das coisas. Pe. Beto, na verdade é mais um caso para mostrar que os LEIGOS Católicos podem ser tudo, mas bobos não somos mais. Que isto sirva de AVISO aos demais enfiltrados na Igreja, a VERDADE semprevalece! Para deleite de quem quiser, abaixo tem um vídeo que encontrei no You Tube que faz um paralelo entre Padre Paulo Ricardo e Pe. Beto. Paz e bem


quinta-feira, abril 25

A que ponto chegamos?


Como a indiferença religiosa criou um mundo cada vez mais hostil à fé católica.

"Vivemos numa época em que são evidentes os sinais do secularismo. Deus parece ter desaparecido do horizonte de várias pessoas ou ter-se tornado uma realidade diante da qual o homem permanece indiferente" (Bento XVI)



As palavras acima pertencem ao Papa Emérito Bento XVI e foram proferidas no ano de 2011, durante uma Audiência Geral. Apesar do aparente pessimismo quanto à cultura moderna, o discurso do Santo Padre é preciso e, ao mesmo tempo, preocupante. Primeiro porque reflete sobre o avanço cada vez mais desenfreado do secularismo e do indiferentismo religioso. Segundo porque faz alusão aos sinais dessa nova cultura que, sob muitos aspectos, se apresenta de maneira violenta e agressiva contra a religião cristã.
Se no passado os gritos de ordem dos opositores da Igreja eram frequentemente recheados de bonitos apelos pela "tolerância", "pluralidade", "respeito" e "igualdade", hoje, a ação desses grupos não tem qualquer pudor de se valer de ofensas, injúrias e até violência física e verbal. Uma mostra do processo de imbecilização da sociedade que, infelizmente, parece caminhar a passos largos. Quando se coloca de lado a reta razão e se se deixa levar pelas ideologias utópicas, cheias de promessas de um "mundo melhor", o homem assume o risco de criar um ainda pior que o anterior. E a História é prova disso.
No entanto, apesar do testemunho contundente do fracasso das ideologias revolucionárias, a quantidade daqueles que se decidem pelos modismos da época multiplica-se de uma maneira inaudita. Ao mesmo tempo, a repressão a tudo que se refere à religiosidade, seja em termos morais, seja culturais, tem quase status de cláusula pétrea dentro da agenda secularista. Achou um exagero? Então leia os casos a seguir!
Bruxelas - Bélgica - um bispo católico atacado por um grupo de mulheres seminuas protestando contra a "homofobia". (termo cunhado para rotular de preconceituoso qualquer crítica ao homossexualismo). A cena é chocante. Trata-se das ativistas do Femen e do arcebispo de Mechelen-Bruxelas, Dom Andre-Joseph Leonard, em mais um episódio grotesco da loucura feminista. Durante uma conferência de Dom Leonard numa universidade da cidade, as senhoras desnudas invadiram o auditório e tacaram-lhe água, enquanto gritavam e blasfemavam de maneira histérica. Não obstante à agressão, Dom Leonard não reagiu e sequer lhes dirigiu o olhar. Respondeu apenas com um beijo na imagem da Virgem Santíssima.


Feministas Radicais do FEMEM invadem conferência e atacam Dom Andre-Joseph Leonard

Paris - França - uma tarde de domingo de Páscoa e uma família reunida no Jardim Luxemburgo para comemorar a festa cristã. É uma situação aparentemente normal. Mas havia um inconveniente, pelo menos para a militância gay. O pai, Franck Talleu, vestia uma camisa com a estampa de uma família tradicional. Foi o suficiente para que a polícia o abordasse e o levasse preso por ferir os sentimentos das minorias sexuais. Após ser liberado, Talleu se questionou ao dar uma entrevista para o jornal francês Le Figaro: "Se um único desenho de uma família em uma camiseta é imoral, o que dizer de um casal na rua de mãos dadas com seus filhos? Será que vão prender, multar todo mundo?"


Franck Talleu preso por vestir uma blusa com desenho de uma família tradicional.

Universidade do Estado de Ohio - Estados Unidos - um grupo pró-vida expõe imagens de bebês abortados quando, de repente, uma mulher decide destrui-las. "Vocês querem uma super população na Terra? Vocês realmente querem pagar impostos por bebês que são filhos de viciados em crack?", questionava a jovem, enquanto quebrava todas as placas do movimento pró-vida. Segundo o site LifeSiteNews, infelizmente, tem se tornado comum ataques de pessoas a favor do aborto a manifestações pacíficas de grupos em defesa da vida. No começo do mês, manifestantes que rezavam a bíblia em frente a uma clínica abortista do Estado de Mississipi foram abordados por um homem com duas facas. A intenção do rapaz era cortar os banners dos pró-vida. Apesar do susto, ninguém se feriu.


E no Brasil, nem é necessário recordar os vergonhosos ataques dos militantes gayzistas aos membros do Instituto Plínio Corrêa de Oliveira, durante uma pacífica manifestação contra o aborto e o "casamento" gay, em Curitiba-PR. As cenas ainda estão frescas na memória e provocam asco. São o triste retrato de uma geração que, à imagem e semelhança da manada de porcos do Evangelho, se atira em direção ao abismo cantando hinos de aleluia.

Diante dessas más notícias, porém, a reação de muitos é de fraqueza e desânimo. E aqui, há de se fazer um mea culpa, pois se as coisas chegaram neste ponto, a responsabilidade, em grande parte, está nas costas de tantos católicos que mantiveram um silêncio escandaloso, quando, na verdade, deveriam ser os primeiros a se levantarem em defesa da cruz de Cristo. Mas será possível que Santa Catarina de Sena terá que vir à Terra de novo ensinar o povo cristão a ser homem? Para onde foi o profetismo e o testemunho dos mártires que durante séculos exalaram o odor da santidade com o derramamento de sangue?

Já Pio XII criticava a letargia espiritual dos católicos diante das investidas ameaçadoras do inimigo de Cristo. O Papa os chamava de "cadáveres ambulantes". Mas não, o cristão não é, nem pode ser um "cadáver ambulante", sua vocação é de ser sal da terra e luz do mundo. E somente um novo despertar da fé será capaz de modificar o rumo dessa época, que, terrivelmente, "jaz no maligno" (Jo 5, 19). "Vitória, tu reinarás, ó cruz tu nos salvarás"!

terça-feira, abril 23

Questionando Roberto


Com todo o respeito à pessoa de Roberto Francisco Daniel (Padre Beto), que é Padre da diocese de Bauru, que possui um elevadíssimo conhecimento intelectual, comprovado por seus inúmeros trabalhos, faculdades e habilidades. Preciso deixar bem claro, que AMO este padre. Por ser criatura de Deus. Feito a imagem e semelhança de Deus e por isso, merece todo respeito e amor. Também o amo, por ele ser ainda, filho de Deus, pois é um Batizado. E por último o amo por ser padre. Padre da Igreja Católica Apostólica Romana. Um ser humano, dotado de dons e defeitos como eu e como qualquer outro. As linhas subseqüentes não se referem à pessoa do Padre Beto, mas sim à declarações que ele tem proferido pelo seu site Padre Beto e principalmente por uma declaração feita por ele a um Site chamado Bauru TV que pode ser conferida clicando no Link. Não aconselho o conteúdo a ninguém, pois para mim o conteúdo não acrescenta em nada.

video

 É preciso entender que muita coisa do que Pe. Beto diz, tem algum fundamento, porém, a grande maioria de seu conteúdo, não tem base doutrinária, tem muito mais base em suas próprias opiniões. Eis seu argumento apresentado no vídeo acima e pode ser evidenciado à partir do minuto 4:20 do vídeo, mas você pode constatar na íntegra o argumento a seguir:

Padre Beto: “Deus nos deu o conhecimento, a razão humana, para conhecer o mundo e o ser humano, então se a ciência humana está constatando, que hoje em dia já não da mais para você enquadrar o ser humano em homossexual, bissexual, heterossexual, nós deveríamos nos enquadrar simplesmente como seres sexuados, e que o amor pode surgir em qualquer destes níveis... se a ciência está chegando a este ponto, de nos levar a este nível de consciência, a Igreja precisa estudar bem isso, caso contrário ela vai... cometer um pecado. O pecado de não saber amar o seu próximo, eu sei amar o meu próximo, a partir do momento que eu conheço este próximo, então a Igreja vai ter que mudar sim, ela vai ter que mudar, mas não por que a sociedade mudou, mas sim por que a ciência e o conhecimento humano evoluíram. E nós não podemos jogar fora, 2000 anos de conhecimento humano, e ficar afirmando coisas, que estão na bíblia sim, frases que estão na bíblia sim, mas que são frutos do quê? Não do Espírito Santo, frases que são frutos da cultura da época, isso que nós não podemos fazer.”

1º PONTO

“... a ciência humana está constatando, que hoje em dia... se a ciência está chegando a este ponto... ela [A Igreja] vai ter que mudar... por que a ciência e o conhecimento humano evoluíram...”

Na opinião de padre Beto, a Igreja, deveria mudar seus valores, seus conceitos e até mesmo os dogmas, por que a ciência evoluiu. Primeiro que ele toma como certo a suposta “evolução da ciência”, o que em si mesmo não há nem mesmo comprovação teórica e muito menos tal hipótese pode ser comprovada na prática, pois se tomarmos como ciência todo conhecimento empírico que o Homem dispõe no momento, com qual outro conhecimento poderá ser comparado o conhecimento humano para se afirmar que “a ciência e o conhecimento humano evoluíram...”? Esta afirmação é apenas fruto da opinião do padre, apenas isso, mais nada.

Outra questão importante, é que o padre, acredita que a ciência, ou seja, o conjunto de conhecimentos de diversas áreas, adquirido pelo Homem são imutáveis e até mesmo dogmáticos, pois somente tal ‘crença’ explicaria a afirmação de que a Igreja “vai ter que mudar...”, por que a ciência mudou, ou evoluiu, tanto faz, o fato é que a ciência irá mudar novamente, se não em todos os pontos, irá mudar em muitos. Apenas para citar alguns exemplos: Até o ano de 2005, plutão, era considerado planeta, e hoje já não é mais; Um recém nascido deveria sempre ser colocado de lado para evitar sufocamentos, hoje em dia ele deve ser colocado de barriga pra cima; antes um psicótico maníaco depressivo era chamado assim, mas hoje é Bipolar.

Ou seja, de acordo com o padre Beto, a Igreja de Cristo (CIC 816), ou seja, o próprio Cristo (CIC 789), deve se sujeitar ao conhecimento humano, por que este conhecimento evoluiu. Porém, esta afirmação contradiz completamente o que afirma o Catecismo da Igreja Católica (CIC) em seu número 157, que diz: A fé é certa, mais certa que qualquer conhecimento humano, porque se funda na própria Palavra de Deus, que não pode mentir. Sem dúvida, as verdades reveladas podem parecer obscuras à razão e à experiência humanas, mas ‘a certeza dada pela luz divina é maior que a que é dada pela luz da razão natural.’ Dez mil dificuldades não fazem uma única dúvida.”

Tal afirmação revela uma profunda descrença do Mistério que é a Igreja. A Igreja seria apenas uma instituição humana que deve se mover conforme as opiniões científicas e talvez os próprios cientistas devam ser então divinizados, pois seriam eles a ditar no que Crê a fé da Igreja.

2º PONTO

“...E nós não podemos jogar fora, 2000 anos de conhecimento humano...”

Que 2000 anos de “conhecimento humano” está se referindo o padre Beto? Quem tem 2000 anos de história é a Igreja e não o conhecimento humano, que tem suas fontes muito mais remotas do que 2000 anos. Apenas querendo lembrar que o Pai da Ciência Moderna, Aristóteles que viveu entre 384 a 322 a.C., e o conhecimento humano não tem origem em Aristóteles, vem muito antes dele, na verdade ele é um grande compilador de um conhecimento muito anterior a ele próprio. Sou forçado a acreditar que possa ter sido um lapsus linguae, que ele mesmo não percebeu. Mas que demonstra o quanto é importante uma edição após uma entrevista.

3º PONTO

“...E nós não podemos... ficar afirmando coisas, que estão na bíblia sim, frases que estão na bíblia sim, mas que são frutos do quê? Não do Espírito Santo, frases que são frutos da cultura da época, isso que nós não podemos fazer...”

Acredito que neste ponto, padre Beto tenha acreditado no discurso do mundo, de que a Igreja é fundamentalista e que a Bíblia, não seja mais nada que um livro que expressa convicções preconceituosas e ultrapassadas, ou seja, a meu ver, e em meu julgamento, padre Beto caiu no modismo de pensar e professar como todos, ou seja, ele diz que a Igreja não deve seguir o modismo, mas ele próprio segue os modismos e de forma contraditória ele acaba afirmando que a Igreja deve sim ser modista.

Mas como debater esta questão tão delicada? Apresento aqui a Palavra da Igreja. Igreja esta que concedeu a ele o dom da ordenação sacerdotal, que o fez ser o que ele é hoje. É preciso antes informar, que a Igreja, quando se refere à Bíblia, não utiliza tal palavra, mas sim ela diz Sagradas Escrituras. Bíblia é um termo simplista que não expressa o que cremos a cerca do objeto, pois para nós, católicos, de fato, tais escrituras, são sagradas. Eis o que a Igreja ensina em sua Constituição Dogmática Dei verbum: “A Sagrada Tradição e a Sagrada Escritura constituem um só sagrado depósito da palavra de Deus confiado à Igreja” (DV. 10).

Com o fragmento de frase “não podemos ficar afirmando coisas que estão na Bíblia”, padre Beto parece não apenas questionar o Magistério da Igreja, como ainda não crer que ele seja de fato autêntico, porém a Igreja nos ensina que “o ofício de interpretar autenticamente a palavra de Deus escrita ou transmitida foi confiado unicamente ao Magistério vivo da Igreja, cuja autoridade se exerce em nome de Jesus Cristo” (DV 10).

4º PONTO

“...a Igreja precisa estudar bem isso, caso contrário ela vai... cometer um pecado...”

A Igreja é o Corpo de Cristo, no qual Cristo Jesus é a cabeça e nós somos os seus membros (CIC 774 a 776). Neste ponto cai por terra tudo aquilo que a Igreja ensina, se um padre Católico, acredita que a Igreja, ou seja, Cristo tenha pecado, ou possa pecar, logo, acredito que o padre Beto deve se perguntar se ele ainda é de fato Católico. Faço tal afirmação com amor e caridade, porém, não sou eu que estou me contradizendo e sim o próprio padre Beto.

5º PONTO

“...homossexual, bissexual, heterossexual, nós deveríamos nos enquadrar simplesmente como seres sexuados, e que o amor pode surgir em qualquer destes níveis...”

O amor, de fato pode surgir em qualquer um destes “níveis”, mas o que o padre Beto entende por amor? A maior prova de amor que existe, é dar a vida pelo irmão (Jo 15,13), ou seja, é o sacrifício, sexo, não tem nada a ver, hoje em dia com amor.

Se um homem, ama outro homem, sabe que este comportamento é contra a lei natural e fecham o ato sexual ao dom da vida (CIC 2357-2359), reduzindo-o a um ato puramente físico, o que é uma ofensa grande para a vida e ao que ela representa.

E ainda: “A vocação para o Matrimônio está inscrita na própria natureza do homem e da mulher, conforme saíram da mão do Criador. O casamento não é uma instituição simplesmente humana, apesar das inúmeras variações que sofreu no curso dos séculos, nas diferentes culturas, estruturas sociais e atitudes espirituais. Essas diversidades não devem fazer esquecer os traços comuns e permanentes.” (CIC 1603)

O homem e a mulher foram criados um para o outro (CIC 1605) e não homem para homem e nem mulher para mulher, pois não há complementaridade. Sou contra até mesmo à união estável entre indivíduos do mesmo sexo, pois acredito que quem é a favor deste tipo de união, peca por falta de caridade com os que assumem tal modalidade de relacionamento humano.

PARA FINALIZAR

Como cidadão, padre Beto tem todo direito de afirmar o que quiser, de falar o que quiser, porém, ele é PADRE, ou seja, é Católico. Ele não é obrigado a ser católico, muito menos ser padre, porém, se o fez por livre vontade, ele deve agora respeitar aquilo que ele mesmo escolheu por livre vontade seguir, ou sair.

O que padre Beto está fazendo, é incoerência, e tal incoerência vinda de uma pessoa com tamanhas capacidades, me leva a pensar que talvez ele mesmo não esteja vendo suas próprias incoerências, ou apenas que ele esteja fazendo isso com o intuito único de destruir a Igreja do lado de dentro, mas prefiro acreditar na primeira hipótese.

Seria como se um torcedor do Corínthians se filiasse à Gaviões da Fiel, que é uma torcida organizada do time do Corínthians, e no dia do jogo do Palmeiras X Corínthians, este mesmo torcedor, resolve aparecer na arquibancada do Corínthians com a camisa do Palmeiras... ele tem o direito de fazer isso? Claro que não, pois foi escolha dele não se filiar à torcida do Palmeiras e sim a do Corínthians.

Acredito que seria muito mais sincero e honesto da parte do padre Beto, defender abertamente seus posicionamentos e deixar bem claro que o que ele ensina, NÃO É A DOUTRINA CATÓLICA, que tudo o que ele faz é na verdade propagar suas próprias idéias, e quem sabe, no seu caso, até cogitar a hipótese de, ou mudar de idéia e não apenas estar com a máscara de Católico, mas ser Católico, ou simplesmente ser coerente com seu discurso e sair da Igreja.

Digo isso, com amor e doçura, eu tenho apenas este texto na tela de um computador para dizer isso, mas padre Beto deve entender que há questões que NUNCA MUDARÃO NA IGREJA, pois caso mudem, ela deixará de ser A IGREJA DE CRISTO. Todo católico está obrigado a professar que as Sagradas Escrituras são parte da Palavra de Deus e que sua interpretação é permitida somente ao Magistério. Padres não são parte do Magistério.

Há muitas questões que padre Beto ainda afirma em outros textos, vídeos e entrevistas, que em breve estaremos fazendo alguma referência.

Finalizo com as palavras do Papa Francisco: "Toda interpretação ideológica, de qualquer parte vier, é uma falsificação do Evangelho. E esses ideólogos – como vimos na história da Igreja – acabam por se tornar intelectuais sem talento, moralistas sem bondade. Nem falemos de beleza, porque disso eles não entendem nada".

Peço que Nossa Senhora faça chegar A VERDADE ao coração do Padre Beto, que ele torne-se novamente católico e pare de ensinar suas próprias idéias, que podem levar não apenas ele mas também aqueles que de boa fé o escutam, para bem longe do caminho do Senhor. Amém

Paz e bem

Absurdo amar Jesus sem a Igreja


Na data de seu onomástico, Papa Francisco recorda São Jorge e condena atitudes de fiéis que fazem a separação entre Cristo e a Igreja.
O Papa Francisco voltou a condenar a tendência de se separar a fé em Jesus Cristo da pertença à Igreja. Numa época marcada pela indiferença religiosa, as palavras do Santo Padre soaram como um duro golpe no slogan moderno "Jesus sim, Igreja não". Para Francisco, isso "é uma dicotomia absurda". As palavras do Papa foram proferidas nesta manhã, durante a homilia da Missa que celebrou na Capela Paulina, por ocasião de seu onomástico, São Jorge.
Apesar do alerta de Francisco, é comum encontrar pessoas que pensam dessa maneira. Já o Papa Pio XII denunciava essa recusa à Igreja como algo diabólico. O Santo Padre elencava os três "nãos" do diabo: o primeiro era à Igreja, o segundo a Cristo e o terceiro ao próprio Deus. Uma verdade que salta aos olhos, sobretudo quando se analisa as tantas e tantas teologias que se afastaram do Magistério dos Santos Padres: acabaram inventando um Jesus muito distante daquele do Evangelho.
A Igreja é, por excelência, o lugar comum e legítimo para profissão da fé. Tanto é verdade que o Papa Paulo VI se expressou desta forma na Encíclica Evangelii Nuntiandi: "é ela (a Igreja) que tem a tarefa de evangelizar. E essa tarefa não se realiza sem ela e, menos ainda, contra ela". Ora, se a Igreja é o Corpo de Cristo, de que maneira se pode amar a Cristo e não o seu Corpo? Por conseguinte, Paulo VI se recordava das Palavras do próprio Senhor para lamentar por aqueles que renunciam a Igreja, a pretexto de uma fé "independente": "Quem vos rejeita é a mim que rejeita".
E de fato, aqueles que renunciaram aos ensinamentos da Igreja acabaram por renunciar ao próprio Deus. Pensa-se em um Cristo histórico de várias faces: o hippie, o comunista, o revolucionário, o reformador, o moralista. Mas em nenhum se encontra a face real do Bom Pastor. Não são o Cristo do Evangelho, mas o Cristo feito à imagem e semelhança de seus ideólogos. Um Cristo sem fé, sem cruz e, portanto, sem redenção. Não é por menos que o Papa Francisco abominou as interpretações ideológicas do Evangelho, tachando-as de "falsificações":
"Toda interpretação ideológica, de qualquer parte vier, é uma falsificação do Evangelho. E esses ideólogos – como vimos na história da Igreja – acabam por se tornar intelectuais sem talento, moralistas sem bondade. Nem falemos de beleza, porque disso eles não entendem nada".
Assim como ensinou o Papa Francisco, não pode existir fé em Cristo se não existir fé na Igreja. Não se trata de imperialismo religioso ou dogmatismo, mas simples fidelidade e coerência com a vontade de Deus. Aqueles que não reconhecem isso, não são capazes de reconhecer mais nada. E não é de se impressionar. Para isso, bastam as palavras de G.K. Chesterton: "Não me intimido com um jovem cavalheiro dizer que ele não pode submeter seu intelecto ao dogma, pois duvido que ele alguma vez tenha usado seu intelecto o suficiente para definir o que seja um dogma."
Neste sentido, a missão do católico é resgatar "o dom da força cristã, o mesmo que teve São Jorge quando deixou o uniforme militar para vestir o uniforme da fé", disse o Santo Padre recordando seu onomástico. Assim, o site padrepauloricardo.org, além de celebrar com toda Igreja essa data especial para o Papa Francisco, gostaria de reforçar esse convite do Pontífice para que o fiel católico tenha a coragem de vivenciar a sua fé em total comunhão com a Igreja, ou seja, com o Sucessor de São Pedro.

quinta-feira, abril 18

A unidade protestante


O protestantismo se arroga e se outorga como seguidor legítimo da Palavra de Deus. Carregando uma Bíblia debaixo do braço, e a riscando com caneta e escrevendo em suas paralelas seus achares e conclusões, o protestantismo tem em comum entre si, para além desta caricatura, ou cacoete intelectual e espiritual, o fato de todo protestantismo pregado e vivido até hoje, não tinha Jesus Cristo como Senhor e Salvador, mas sim, falsos deuses, pequenos demiurgos fazedores de doutrinas auto-analíticas que prometiam a si mesmos uma salvação que na verdade nunca veio e nunca virá.

Não sou contra nenhum protestante em particular, mas sim contra todo protestantismo que agride e persegue a Cristo e sua Igreja, tentando, em nome de si mesmo, ser o único caminho que de fato é o próprio Cristo. O protestantismo que já iniciando por Lutero, que nega a autoridade da Igreja e mutila o Cânon Bíblico, arrancando-lhe os sete livros que os primeiros cristãos tinham como textos inspirados, não apenas rompe com a Igreja primitiva, mas rompe com a única Igreja, que na verdade deixou de ser primitiva e hoje é denominada católica, pois não é herege. Entenda-se por herege aquele que escolhe uma parte da revelação deixando sua aparente contradição e a elege como única verdade.

No modelo protestante de Lutero isso fica bem claro, quando Lutero elege a sua fé pela metade que afirma que a justificação vem pela fé (Gl 2,16 ou Rm 5,1), como “a verdade”, mas despreza a Carta de Tiago que afirma que a “fé sem obras é morta” (Tg 2,17). E assim, eliminando uma parte da revelação em detrimento de outra verdade da mesma revelação, apenas por não ser Lutero capaz de conviver com ambas em sua cabeça, exclui a revelação Divina e elege sua própria inteligência como seu único senhor, deus e salvador.

Eis aí, a unidade protestante. E por isso mesmo, todo protestante que acredita piamente que sua inteligência o salvará, e é capaz de chamar seu próprio intelecto de “espírito santo”. Pois como é possível que o mesmo “espírito santo”, revele coisas tão contraditórias aos indivíduos?

Uns acreditam que Jesus deixou sacramentos, outros acreditam que Jesus não deixou nenhum sacramento. Uns levam em conta os fatos históricos, como a morte de São Pedro e São Paulo em Roma e outros afirmam categoricamente que São Pedro nunca esteve em Roma. Uns afirmam o celibato e outros negam o celibato. Uns afirmam ser Cristo o Deus verdadeiro e outros afirmam ser apenas o primeiro a ser criado.

A unidade protestante se encontra na adoração e veneração de suas próprias mentes. É muito comum, em um debate entre protestantes, apelarem para as revelações particulares. De fato, se analisarmos friamente as milhões de doutrinas diferentes, você encontrará protestantes que freqüentam inclusive os mesmos templos terem idéias totalmente distintas quanto a questões imprescindíveis da fé.

O protestante acredita que a Fé salva, negando a necessidade das obras, porém, se esquecem que Jesus é a ressurreição e a vida, é Ele própria a salvação. E esta é a grande diferença de um herege para um católico, o católico, convive com verdades aparentemente contraditórias, mesmo que sua mente não as explique, pois tem a Igreja que o ajuda e os santos doutores, os padres do deserto e a patrística que com uma teologia mística e maravilhosa, que a própria Igreja reconhece como sendo parte inclusive da Revelação, aceita a Fé completa, sem a necessidade de ser mutilada.

O protestantismo gera uma adoração de nós mesmos, depois de anos no protestantismo, não consigo hoje ver com bons olhos uma doutrina que gera divisão ser ainda vista como algo vindo de Deus, que é UNO e só pode gera por isso UNIDADE.

quarta-feira, abril 17

Papa Francisco e o milagre eucarístico de Buenos Aires


O atual Papa Francisco conduziu investigação para comprovar um dos maiores milagres eucarísticos da história recente, ocorrido em Buenos Aires em 1996.

Foi o chamado Milagre Eucarístico de Buenos Aires, onde uma Hóstia Consagrada tornou-se Carne e Sangue. O Cardeal Jorge Bergoglio, Arcebispo de Buenos Aires, hoje Papa Francisco, ordenou que se chamasse um fotógrafo profissional para tirar fotos do acontecimento para que os fatos não se perdessem. Depois foram conduzidas pesquisas de laboratório coordenadas pelo Dr. Castanon.

Os Estudos mostraram que a matéria colhida da Hóstia era uma parte do ventrículo esquerdo, músculo do coração de uma pessoa com cerca de 30 anos, sangue tipo AB de uma pessoa que tivesse sofrido muito com a morte, tendo sido golpeado e espancado. Os cientistas que realizaram o exame e os estudos não sabiam que era material proveniente de uma Hóstia Consagrada, isso só lhes foi revelado após a análise, e foram surpreendidos porque haviam encontrado glóbulos vermelhos, glóbulos brancos pulsando durante a análise, como se o material tivesse sido colhido direto de um coração ainda vivo.

A Hóstia Consagrada tornou-se Carne e Sangue

Às 19h de 18 de agosto de 1996, o Padre Alejandro Pezet celebrava a Santa Missa em uma igreja no centro comercial de Buenos Aires. Como estava já terminando a distribuição da Sagrada Comunhão, uma mulher veio até a ele e informou que tinha encontrado uma hóstia descartada em um candelabro na parte de trás da igreja. Chegando ao lugar indicado, o Padre Alejandro Pezet viu a hóstia profanada. Como ele não pudesse consumi-la, colocou-a em uma tigela com água, como manda a norma local, e colocou-a no Santuário da Capela do Santíssimo Sacramento, aguardando que dissolvesse na água.

Na segunda-feira, 26 de agosto, ao abrir o Tabernáculo, viu com espanto que a Hóstia havia se tornado uma substância sangrenta. Relatou o fato então ao Arcebispo local, Cardeal Dom Jorge Bergoglio, que determinou que a Hóstia fosse fotografada profissionalmente. As fotos foram tiradas em 6 de setembro de 1996. Mostram claramente que a Hóstia, que se tornou um pedaço de Carne sangrenta, tinha aumentado consideravelmente de tamanho.

Análises Clínicas

Durante anos, a Hóstia permaneceu no Tabernáculo e o acontecimento foi mantido em segredo estrito. Desde que a Hóstia não sofreu decomposição visível, o Cardeal Bergoglio decidiu mandar analisá-la cientificamente.

Uma amostra do Tecido foi enviado para um laboratório em Buenos Aires. O laboratório relatou ter encontrado células vermelhas e brancas do sangue e do tecido de um coração humano. O laboratório também informou que a amostra de Tecido apresentava características de material humano ainda vivo, com as células pulsantes como se estivessem em um coração.

Testes e análises clínicas: “Não há explicação científica”

Em 1999, foi solicitado ao Dr. Ricardo Castañón Gomez que realizasse alguns testes adicionais. Em 5 de outubro de 1999, na presença de representantes do Cardeal Bergoglio, o Dr. Castañón retirou amostras do tecido ensanguentado e enviou a Nova York para análises complementares. Para não prejudicar o estudo, propositalmente não foi informado à equipe de cientistas a sua verdadeira origem.

O laboratório relatou que a amostra foi recebida do tecido do músculo do coração de um ser humano ainda vivo.

Cinco anos mais tarde (2004), o Dr. Gomez contatou o Dr. Frederic Zugibe e pediu para avaliar uma amostra de teste, novamente mantendo em sigilo a origem da amostra. Dr. Zugibe, cardiologista renomado, determinou que a matéria analisada era constituída de “carne e sangue” humanos. O médico declarou o seguinte:

“O material analisado é um fragmento do músculo cardíaco que se encontra na parede do ventrículo esquerdo, músculo é responsável pela contração do coração. O ventrículo cardíaco esquerdo bombeia sangue para todas as partes do corpo. O músculo cardíaco tinha uma condição inflamatória e um grande número de células brancas do sangue, o que indica que o coração estava vivo no momento da colheita da amostra, já que as células brancas do sangue morrem fora de um organismo vivo. Além do mais, essas células brancas do sangue haviam penetrado no tecido, o que indica ainda que o coração estava sob estresse severo, como se o proprietário tivesse sido espancado.”

Evidentemente, foi uma grande surpresa para o cardiologista saber a verdadeira origem do tecido. Dois cientistas australianos, o cientista Mike Willesee e o advogado Ron Tesoriero, testemunharam os testes. Ao saberem de onde a amostra tinha sido recolhida, demonstraram grande surpresa. Racional, Mike Willesee perguntou ao médico por quanto tempo as células brancas do sangue teriam permanecido vivas se tivessem vindo de um pedaço de tecido humano que permaneceu na água. “Elas deixariam de existir em questão de minutos”, disse o Dr. Zugibe. O médico foi então informado que a fonte da Amostra fora inicialmente deixada em água durante um mês e, em seguida, durante três anos em um recipiente com água destilada, sendo depois retirada para análise.

Dr. Mike Willesee Zugibe declarou que não há maneira de explicar cientificamente este fato: “Como e por que uma Hóstia Consagrada pode mudar e tornar-se Carne e Sangue humanos? Permanece um mistério inexplicável para a ciência, um mistério totalmente fora da minha jurisdição”.

Fonte: Padre Paulo Ricardo




TRADUÇÃO DO VÍDEO ACIMA:

Agora vou entrar em um tema que é muito interessante e que com certeza vou tratar com mais profundidade:

Eu fui chamado pelo Cardeal de Buenos Aires, retrato isso por depois de muitos anos de trabalho a Igreja valoriza minhas investigações.

Então me chamam porque em Buenos Aires acontece que existe a moda de que muitas pessoas recebam a comunhão nas mãos.

Resultando que deixaram cair a Hóstia, e como a Hóstia estava “suja ” ninguém a quis recolher. CONSAGRADA !

Então alguém avisa o Sacerdote e ele a recolhe e a deposita em uma fonte e a deposita em água para que ela se dissolva, é uma norma que eles tem depois molham as plantas.

Depois de uns cinco ou seis dias que estava no Tabernáculo, eles vão abrem o Tabernáculo e vêem que em vez de haver se desintegrado existem umas manchas vermelhas.

Em diferentes formas vêem que o liquido aumenta nos dias sucessivos, nesse momento me convidam a pegar algumas amostras e saber do que se trata.

Eu viajo duas vezes e obtenho duas amostras, uma é uma massa gelatinosa.

Porque eu tenho contado a vocês sobre uma Hóstia, mas o mesmo ocorreu à outra, tenho duas amostras que devo analisar uma é esta, a outra é uma que exudou em 1996 e que se formou uma crosta seca.

Então eu viajo à América do Norte a um laboratório na Califórnia levando essa amostra. Eu não lhes digo que vem de uma Hóstia.

O estudo cego consiste em apresentar aos senhores laboratoristas a amostra e dizer analizem-na.

Qual é o resultado?

“Dr , a amostra que o senhor nos trouxe é músculo do Coração, músculo do miocárdio, do ventrículo esquerdo”.

Este é o primeiro resultado mais há mais coisas a descobrir.

Este estudo estamos realizando desde 1999, mas há alguns meses descobrimos que havia um grande expert em cardiologia em patologia e em bioquímica.

È o único professor que escreveu um livro que explica de que foi morta uma pessoa quando o coração foi lesionado.

Este professor é o famoso Dr. Frederick Zugibe.

Então entregamos a ele as amostras e ele nos disse:

Essa pessoa que tinha esse Coração morreu muito mal-tratada, porque seu coração tem lesões que mostram que foi muito golpeada. ESSE HOMEM FOI TORTURADO.

Ele não sabe que é uma hóstia.

E logo ele disse:

Mas tem uma coisa que eu gostaria que vocês me explicassem:

Como é possível que quando eu estava estudando esta amostra, a amostra palpitava, pulsava.

Então expliquem como vocês tiraram o coração de um morto e o trazem vivo ao meu laboratório em Nova York?

“Professor Zugibe, não é o que o senhor pensa, isto é uma Hóstia Consagrada que começou a sangrar”.

Imaginem, seus cabelos quase saltaram da sua cabeça.

Imaginem dizer a um homem que um pedaço de trigo se tornou sangue e se coagulou é uma amostra de músculo de coração.

Mas por ai não termina porque ele perguntou, como é possível que esteja vivo ainda?

Mais eu estou lhe dizendo que estou estudando desde 1999. São cinco anos que a amostra está comigo.

Então eu viajo para o laboratório em Buenos Aires, faz poucas semanas e busco os documentos dos primeiros estudos realizados em Buenos Aires e escreveu o laboratorista da primeira analise:

” Se observam alguns líquidos, células vermelhas do sangue, hemoglobina, e o que me chama a atenção é que as células estão se movendo e pulsando”.

As células estão palpitando e pulsando.

Alguns dias já haviam se passado! E após 15 minutos as células do sangue morrem, todos os glóbulos brancos e vermelhos se decompõem.

Então me interessou muito o tema do coração e eu me intero que no século VII em Lanciano uma cidade localizada no sul da Itália, um sacerdote celebrava a missa e duvida se Cristo estava presente na Eucaristia.

Ele duvidou e no momento de sua duvida, a Hóstia se transforma em sangue e se coagula, e se torna um pedaço de carne, se vocês viajarem a Lanciano poderão vê-la.

Eu creio que alguns já tenha feito.

O vinho se transforma em cinco coágulos de sangue, que são como cinco algodões de sangue.

Mas são de distintos tamanhos os cinco e cada um pesa igual ao outro!

Os italianos na Conferencia Episcopal da Itália, convidam nos anos 70, isto aconteceu no século VII, mas se conserva, então eles convidam esse professor Dr. Linolli que é um expert em bioquímica e patologia para estudar e este doutor nos disse que ” é músculo do coração igual a amostra que você tem “.

Ou seja, a amostra que eu tenho que é dos anos 90 de Buenos Aires é a mesma que esta..

Pertence a mesma Pessoa..

O que opinam disso?

O restante não lhes conto, porque senão não compram meu livro..Mentira, não tenho um livro que fale sobre esse assunto.

Aqui estamos falando eu creio ser a prova de algo extraordinário.

Posso eu comprovar que Jesus Cristo está presente na Eucaristia?

Nosso Senhor disse a uma mística:

” Eu faço milagres para os cegos e surdo, mas eu não quero fazer milagres porque quero que creiam por fé”.

Eu não sou nada para dizer está é a prova, mas eu apenas coloco sobre a mesa os resultados de minha pesquisa para que vocês meditem e para que tirem suas próprias conclusões.

Eu não posso explicar porque uma imagem de gesso exuda, porque essa parede de gesso não exuda?

Porque só as imagens sagradas.

Então eu creio que os senhores devem meditar.

O que Nosso Senhor está tentando nos dizer com esses sinais?

E logo me intero que no século XII, havia outra pessoa, outro sacerdote que duvidou que Cristo estava presente na Eucaristia, isto na Itália também e quando estava duvidando se Cristo estava presente ou não, o corporal que tinha se encheu de sangue, mas aqui aconteceu algo impressionante, porque o sangue correu do altar e o sangue correu no chão, e se vocês forem ver hoje, poderão ver que o sangue penetrou no piso de mármore, o sangue corre e entra no mármore.

È devido a esta experiência no século XII, que o Papa Urbano que se encontrava perto de Orvieto, viaja ao lugar e para ver este milagre, e Urbano IV pede a Santo Tomás de Aquino para celebrar uma missa e o ritual para estabelecer a celebração de Corpus Christi.

Então pra que todos saibam que a celebração de Corpus Christi nasce de um milagre Eucarístico.

Estão cansados ou não?

Para eu lhes contar mais coisas…